(SH)It Girl da zona sul

dinheiro queimando burn money
Que o termo "It Girl" perdeu seu real significado, todos já sabem, mas como reagir ao se deparar com esse trecho de reportagem? É isso que me inspira a falar de um assunto que sempre comento, mas que nunca expus aqui: a ostentação sem limites de gente que não tem condição nenhuma para bancar esses luxos.

Não se espante ao ver uma garota com um visual recheado de marcas caras, e que provavelmente custou mais de 800 reais, entrando em um barraco sem reboco de 40m². Sim, não se espante. É aquela clássica situação "come pão com ovo e arrota caviar" onde a aparência que temos se torna mais importante do que aquilo que somos, e como nesses casos, a obrigação de manter a aparência e a falsa ostentação acaba passando por cima de necessidades básicas, como uma casa mais ajeitada, eletrodomésticos mais modernos e econômicos ou um estudo superior de qualidade.

Não que marcas famosas e produtos da Apple estejam destinados apenas à pessoas das classes média e alta, qualquer um que tiver o dinheiro suficiente realiza a compra, mas na vida sempre vão existir prioridades e invertê-las é prejudicial. É aquela relação necessidade x superficialidade, onde nos dias de hoje, incrivelmente, a segunda opção costuma prevalecer. E não jogo a culpa apenas nos jovens com essa mentalidade, a influência de algumas músicas, como o funk, e a falta de autoridade dos pais também são fatores responsáveis.

Vivemos em um mundo onde uma mãe não pode juntar dinheiro para comprar a casa própria porque a filha precisa de tênis de 500 reais.

Realmente precisa?



21 comentários:

  1. Nossa, gostei muito do post!
    Infelizmente a sociedade atual está muito ligada a aparência. Algumas pessoas de baixa renda acham que para fazer parte dessa sociedade, elas devem se vestir com roupas caras e sapatos de marca, sendo que as coisas mais importantes como a educação e um bom lugar para morar acaba sendo deixado como segundo plano. É triste ver isso, mas é o que está acontecendo.

    http://harukingdom.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, essa questão de manter aparências é o que estraga todo o resto... :/

      Excluir
    2. Isso ta parecendo mais recalque da classe media... Pobres,não deve entrar em shopping! devem viver na miséria a vida toda e lavando a minha roupa enquanto cuida do meus filhos u.u isso as donas de casa, vcs meninas da classe media é: a guria já é bonita, ainda se vestindo bem... pronto fudeu! tudo uma questão de privilegios que vcs n querem perder! n tão preocupadas com quem passa fome,fala serio! a quem querem enganar mesmo?

      Excluir
    3. Seu comentário foi tão infeliz que nem vou me dar o trabalho de respondê-lo. Sério, é só você reler o que escreveu aí e ver como isso foi egoísta e ignorante da sua parte... Me deu pena. :/

      Excluir
  2. Acho isso um absurdo e fico revoltada quando vejo esse tipo de coisa... Mas os pais são os principais culpados que permitem que os filhos se deixem influenciar por este tipo de coisa. Duvido que eu pagaria uma roupa tão cara pra minha filha se em casa necessita de algo ou morando de aluguel
    http://www.primeirapessoadosingular.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que os pais tem uma larga parcela de culpa em toda essa história, mas não dá pra jogar tudo em cima deles, é aquela situação onde filhos acabam dominando os pais sem autoridade. Eu também nunca pagaria esses luxos pra um filho se minha casa precisasse de alguma coisa.

      Excluir
  3. E a inveja,já viu por hoje?
    Tá com inveja só porque a mina tem iPhone é recalcada?
    Beijinho no ombro pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aahsuheaushu, claro, to aqui morrendo de inveja!
      Vale a pena ressaltar que minha crítica não foi direcionada à menina, mas sim a um grupo de pessoas no geral. E não, eu não preciso de um iphone... graças à Deus eu entendo que não sou rica pra ter o luxo de desperdiçar dinheiro e que existem outras prioridades. As pessoas precisam entender que nem tudo nessa vida é inveja ou recalque.

      Excluir
  4. Juliana Concordo com o que vc disse, tem muita gente querendo ser o que não é!

    http://ogarotodoespaco.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Regina Ando de Cezare23/01/2014 16:38

    Como mãe posso garantir que essa superficialidade e consumismo exacerbado não é de nossa inteira responsabilidade, muito pelo contrário!

    Mas como publicitária que trabalhou em agências de propaganda durante anos, posso afirmar categoricamente que o grande vilão dessa tragédia do séc. 21 sempre foi e sempre será a MÍDIA!
    Os veículos de comunicação em massa (ou não) criam essa ilusão de Ter = Status e manipulam as pessoas com cada vez mais facilidade e sutilezas...outro co-responsável também, é o próprio ensino escolar que é uma m...e não ajuda nenhum jovem a PENSAR e ter personalidade própria!

    Há raras excessões de jovens pensantes, mas infelizmente são raras...parabéns Jul, vc é uma delas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, isso realmente é um fator que esqueci de citar: a mídia!! Muito bom observar isso Regina, porque essa imposição de que para ser alguém "legal" precisamos "ter" coisas é feita pela mídia todos os dias...
      E muuuuuito obrigada pelo elogio! *-*

      Excluir
    2. É só ler o que ta escrito ai e seja feliz!
      http://www.vice.com/pt_br/read/a-verdade-sobre-a-it-girl-da-zona-sul

      Não sei quem é pior, a matéria da revista veja ou seu post

      Excluir
    3. Oi Anônimo, eu já tinha pesquisado e lido alguns textos explicando melhor a situação (mais ou menos como esse que você me mandou), e mesmo assim senti a necessidade de falar sobre o ASSUNTO, não sobre a tal Yasmim. Vou repetir a mesma coisa que eu disse ali em cima "vale a pena ressaltar que minha crítica não foi direcionada à menina, mas sim a um grupo de pessoas no geral". Eu realmente achei que todas as pessoas teriam o mínimo de inteligencia para entender que o assunto do post é a ostentação sem limites de gente que não tem condição nenhuma para bancar esses luxos, como dito no primeiro parágrafo, e não a menina que saiu na reportagem.

      Não sei o que é pior, a sua deficiência em interpretar textos ou a sua covardia de criticar em anônimo.

      Excluir
    4. Existe uma coisa chamada tese, e a sua foi a menina Yasmin. Exemplo. Modelo. Fizeram parte da sua tese, então você não pode usá-la como exemplo.

      Excluir
  6. "roupas de mais de 800 reais, entrando em um barraco sem reboco de 40m²" resume essas meninas que irão se tornar mães solteiras aidéticas aos 15 anos de idade e morrerão atendendo ligações telefônicas de pessoas com problemas na internet dentro de uma Atento da vida.
    Tenho 26 anos (e o mesmo sobrenome que o seu, Ciao prima distante!) e cada dia que passa fico mais revoltado com essa geração mais nova, me sinto sim um tiozão dizendo isso, mas ninguém mais quer saber de nada além de funk e sair por ai biscateando por 'rolês'. Quero ver o que esse povo será no futuro, além de biscate de porta de balada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GENTE QUE LIXO DE POST

      Excluir
    2. COMO ALGUÉM AINDA CONSEGUE LER E ACREDITAR NAS MATÉRIAS DA REVISTA VEJA LIXO DE POST

      Excluir
  7. Concordo que primeiro vem o essencial e depois a superficialidade, mas já parou pra pensar a fonte da matéria? As vezes essa menina nem é realmente quem dizem ser.
    E se for, só pq ela mora numa favela ela não tem direito a ter iphone, imac, imerda, iqualquercoisa????
    Eu moro do lado de uma favela, e a casa deles não tem reboco por fora, mas dentro tem eletrônicos de ultima geração. Cada um tem suas prioridades e sensação de conforto, para alguns é ter a casa rebocada, outros é ter eletronicos de ultima geração e outros sustentar os luxos dos filhos. Vai julgá-la por isso? Não é direito de ninguém ficar falando que a menina gastou 500R$ num tênis. Já ouviu falar em cartão de crédito e prestação sem juros?? Quem é que garante que esse tênis não foi pago em 10x de 50R$??? Hoje a classe média baixa quer artigos de luxo pois viram que são produtos de alta qualidade e durabilidade. O mesmo tênis de 500R$ dela pode durar 5 anos, enquanto um de 50R$ não dura 3 meses.

    Mas o fim foi você acreditar numa matéria da VEJA. Sério mesmo que você acreditou cegamente nisso? Já vi VÁRIAS matérias com a mãe da menina e ela, contando a realidade, pra começar pelo trabalho da mãe que é GOVERNANTA e não FAXINEIRA, e se for olhar no site da Oakley o tênis feminino mais caro custa R$447,00.

    Bora pesquisar antes de sair botando a boca no mundo, né!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao sei se você é burro ou o caralho a quatro, mas o tênis dela é da Osklen, esses tênis são SUPER caros e não duram muito. Agora faça me um favor e volte pra pokebola.

      Excluir
  8. "a influência de algumas músicas, como o funk, e a falta de autoridade dos pais também são fatores responsáveis." tá sertíssima amiga.

    ResponderExcluir